Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

blogue do jardim das jacas - luís altério

- Últimas Notas de Rodacorpo -

- Últimas Notas de Rodacorpo -

blogue do jardim das jacas - luís altério

14
Abr21

...

Sei que hoje é mais um dia internacional de “qualquer coisa”, porque é necessário ser lembrado... Eis, então, a questão: Forçar o dia a lembrar o que quer que seja! Enquanto existirem dias com “Dia Internacional...” é porque continuamos a errar o périplo colectivo. Ou seja, em vez de resolvermos esses erros ou esses esquecimentos ou essas injustiças, fingimos que os resolvemos com “Dias Internacionais” às pazadas e a torto e a direito.

13
Abr21

...

O colocar-se-em-uma-só evidência da angústia é que faz o Homem singular perceber que sempre tem uma saída: pois, só tem uma vida para ser tomado por uma das partes do Uno do inferno que produzimos sem parar.

10
Abr21

...

Entre os primórdios em que se é o centro do mundo até ao amadurecimento em que se é o redemoinho de mão cheia de pó, um longo adeus ao deserto da ingenuidade que vai piscando os “olhos” de tanto vento revolto.  

08
Abr21

...

Na esteira de Cioran, é bem verdade que a Dor tem raízes mais profundas que a Felicidade cerce: As provas estão aí, na Floresta pujante de Angústias com troncos grossos e copas ingentes, e nascendo outras que já suplantam as Felicidades rasas e que se encontram ao deus dará, qual “ervas daninhas” mastodônticas ... O que nos reduz a este fatalismo: Qual o "insecticida" a que ninguém procura para pulverizar?

08
Abr21

...

A importância vital em cada caso terminar num belíssimo afecto é que, ao contrário, teríamos somente para cada afecto perdido um caso?

07
Abr21

...

A futuridade da dilatação da chance de acontecer é como o Santo Agostinho que dizia (assim em livre adaptação) que “se ninguém me pergunta, eu sei; se me perguntam, eu não sei” ... ainda assim, é a chance de ‘o acontecer’ ser deformável ao ponto de poder alçar a futuridade com um relógio honesto que não minta sobre a chance.

07
Abr21

...

O que se diz, mal se entre em cena, não é ainda o que se pensa, pois ainda só é o “aparecer o que se pensa”, e isso — o que se pensa — é difícil de chegar ao outro por falta de paciência. O que resta, então? ... Continuar a ser-se herói-de-sofá, agora já obeso e com feridas nas dobras suadas da pele baça e amarelada, se nada for feito para manter o DIÁLOGO em acção que retire as banhas do marasmo.

07
Abr21

...

Disseram-me, e bem, que o Hegel — esse gigante levado da breca — fizera a fenomenologia do espírito, reiterando que, para abordar-se a coisa mesma — o que é em verdade a coisa —, tem que dialogar-se com o conhecer — o ir conhecendo — para atingir o absoluto que, entretanto, está a ser contemplado.

06
Abr21

...

O fatalismo da angústia colectiva é não compreender-se que a Ética nunca foi e nem será um papiro pétreo mas sim uma contínua busca da inteligência, ou seja, que a Ética jamais se fechará em dogmas, o que nos reduz, fatalmente, aos medos coletivos assegurados pelas Igrejas e pelos Políticos, que nos diminuirão ad infinitum a gado alienado pela bíblia-mal-interpretada dos Pastores e pela retórica-financeira dos Políticos.

06
Abr21

...

Não há como fugir dos filósofos que escavaram o subterrâneo das causas. E por quê — pergunta-se — porque, embora passemos a vida a esconder o que quer que seja por cobardia plácida, o que somos verdadeiramente ainda está demasiado escondido no nosso heroísmo-de-sofá: o que só nos resta a angústia esparramada ao longo do sofá doméstico.

03
Abr21

...

A tua inutilidade existe enquanto não amares, entretanto, farei poemas de amor como este até tornares-te útil no teu coração que por fim amará.

27
Mar21

...

O que vos digo é que a matemática passa ilesa pelo seu grande mérito que sempre demonstrou mas que se fica pela superfície das Coisas terrenas ou nem isso — que, ao contrário da matemática, as Coisas são palpáveis e tocadas pela essência de si mesmas —. Em rigor a matemática é uma outra coisa diferente de um conceber terreno mas igualmente “real” para nós, porque de suma e vital importância.

25
Mar21

...

O que ocorre sempre em circunstâncias difíceis — para não dizer impossíveis — é a transposição esperada da fluidez dos pensamentos oleados para além do patamar pétreo do Medo. Medo esse havido e achado a elaborar-se, sorrateiramente, pela fluidez-enferrujada do pensamento.

25
Mar21

...

Febre do Rato:

 

[3]: A poesia que se fica a versar pelo amor-com-rancor ou foder-com-poder já nasce a desgostar da Criação. E por quê? Porque a Criação lhe dá, de cada vez que se apraz em versinho, a amarga angústia de não saber cumpri-la.

22
Mar21

...


Febre do Rato:

 



[2]. Se quer continuar a ser Poeta, então, quando um carme começa a desenhar-se, deve seguir forte frente à linha ténue do remate do fracasso e, ao mesmo tempo, sem querer sujeitar-se a almejar a perfeição.

21
Mar21

...

Porrada de razão tinha o Hegel ao pensar que não nos satisfaz ver somente uma bolota no lugar de querermos ver o seu carvalho na sua robustez e expansão de seus ramos. Temos que almejar a inteireza, mesmo que estejamos condenados a nunca observa-la em toda a sua extensão.

20
Mar21

...

O sentido de qualquer coisa é tão terreno como eu dar um espirro (e dei um, agorinha), mas tão capaz (se assim me debruçar em entende-lo) que o faz erguendo-se a si mesmo para além do imediatismo da coisa.

20
Mar21

...

A flor replica pelo botão que desabroche porque são incompatíveis entre si, mas fundamentais para o que quer que seja.

12
Mar21

...

Cada vez que ouço — ou leio — crentes espalhados ou pelas redes sociais, ou pelas ruas e esquinas, ou pelas casas-de-culto a vociferarem que “Deus está no controle” mais eu fujo para dentro de mim, autista, já não para salvar este ou aquele mas salvar-me, antes que seja tarde.

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub