Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

blogue do jardim das jacas - luís altério

- Eu é mais d'eus -

- Eu é mais d'eus -

blogue do jardim das jacas - luís altério

30
Jun20

...

[206].

Meu zap: A Fake News atrapalha a democracia... E acho que todos os quadrantes políticos usam, mas o gabinete do ódio supera a todos! Onde isto vai parar?

Zap do Professor: Que Fake News, Luís!? Que Fake News!?

Meu zap: Omessa! Disse alguma barbaridade?

Zap do Professor: És tão ingénuo, portuga de um raio! ... A Fake News é só um detalhe da trama toda... Isto referindo-me ao gabinete do ódio. Explico: A grande trama é feita com meia dúzia de génios nos seus computadores e redes que se lançam nos grupos estratégicos e criam conceitos artificiais... Lançam conceitos, ou empurram conceitos ao mesmo tempo, parecendo que estão todos de acordo na rede e conseguem obter resultados. E se trabalharem para a Extrema Direita, aprisionam  com enorme sucesso a  democracia, e obtêm o que querem... Fake News é mais uma forma espalhafatosa, que se sobressai mais, só isso.

Meu zap: Puta que pariu...

Zap do Professor: Fenómeno bem conseguido... começou na Itália, passando pela Inglaterra, EUA e agora com esse Coiso que nos governa. É um assunto grave, que faz da democracia um refém da Extrema Direita... Estamos fodidos!

29
Jun20

...

[205].

Meu zap: Desaparecido em combate, Professor?

 

Zap do Professor: Estou esperando de ver o Queiroz lançar a merda toda guardada na sua “fossa” para o ventilador... Enquanto isso, digiro a indignação pelo SILÊNCIO dos que têm DEVERES para com a REPÚBLICA perante a publicação do dossier BANESTADO... Excepto um gato pingado aqui e ali, que não leva a nada concreto.

 

Meu zap: Por isso entendo que o Romulus do DE é um herói solitário...

29
Jun20

...

[204].

A vala não era profunda de maneira que conseguimos tirar a carrinha com facilidade graças aos nossos esforços, com o sobrinho caçula ao volante guiando com o motor ligado as rodas para a estrada asfaltada. E todos voltamos, ainda que sujos, para dentro da carrinha sem antes sacudirmos a lama. O condutor, um dos meus cunhados, lá meteu a primeira e arrancamos aliviados. Já perto da cidade o meu sobrinho caçula gritou:

- Deixei o telemóvel lá!...Ai, deve ter caído na lama!...

Primeiro dei um estalo de riso que assustou a família, depois contive-me fechando o rosto sério. Incomodado com os olhares, respirei e disse:

- Tenho aqui, apanhei-o no chão sem veres...Toma, queria ver a tua reacção... Hahaha...

Mal passei o dito para a mão do sobrinho, recebi de troco um bofetão no queixo dado pela outra mão indignada. Depois outra bofetada valente, dado pelo pai do rapaz, o tal cunhado condutor mal virara as costas para trás, a seguir outro banano menos intenso, da mãe (minha irmã) que estava ao meu lado no assento do carro.

- Caralho!... Doeu, pá! Ouve lá ó fedelho, sou teu tio! – olhei para os outros e calei-me com medo dos seus olhares, resignado e com dores – Foda-se, não se pode brincar!

27
Jun20

...

[203].

Ás vezes só preciso de um pouco de atenção. Mas os camaradas sempre arranjam forma de me contradizerem. Talvez tenha que repensar os meus valores (é o que eles me dizem)... Isso também cansa, sabe. Por isso não volto lá, pelo menos nos próximos tempos, preciso de me afastar e serenar nas cervejas... E tanta porradinha dei naquelas ventas do gajo lá no café! ... E... E foi parar ao hospital. Espero que fique bem.... A cada dois socos de esquerda e um gancho de direita, um supor, e ele caia todo amassado. E erguia-se do chão, como um Rocky Balboa eloquente na mise em scène de levantar primeiro a cara num esgar de herói com fios de sangue quente misturado com o suor e finalmente erguer-se. O patrão do Bar a dar a volta ao balcão para tentar salvar as cadeiras e a mesa, tombadas. O pessoal atónico! Parado e a observar... A seguir, infligi lhe dois ou três bananos bem assentes. Voltou a tombar! E outra vez tentou erguer-se, tartamudeando:

- A terra... A terra é redonda...

E eu gritei:

- A terra é plana! Acaba com isso!... Levanta-te e vai para casa.

Outra vez de pé e enfrenta-me, e lanço um vertiginoso golpe em arco, lateralmente, com o braço curvado. E ele cai inanimado. Redondo no chão! Uns segundos depois, reage. Sacode um pouco a cabeça e ergue-a, abre os olhos aflitos mas orgulhosos e balbucia qualquer coisa, mas presumo que isto:

- A terra é redonda...

E aborrecido, volto-me, inquieto e vacilante, sem pagar a conta, perante os amigos atónicos, e saí do café. Ainda ouvi de lá de dentro:

- Volta, volta.... Estou aqui de pé, ainda não me convenceste com o teu negacionismo!

 

27
Jun20

...

[202].

Do que me lembro agora foi de um momento particularmente feliz pela sua intensidade. Bom, mais ou menos feliz, ou assim-assim, mas que por alguma razão nunca o esqueci, agora que estou mais ciente lembro sim de um momento embaraçoso... Repito: Do que me lembro agora foi de um momento particularmente embaraçoso. Eu conto. Sentado num destes assentos longitudinais de betão que o pessoal da aldeia faz, encostados às paredes das suas casas para na sombra das tardes pachorrentas malbaratar o latim e deslustrar o vizinho só porque sim ou para matar o tempo, estava eu sozinho, mais precisamente - como lembro agora - sentado no assento vinculado à parede da casa dos meus pais que, súbito (lembrar que vivia na rua onde se fazia a feira quinzenal), ouvira a descer (a rua descia para a praça) o gemido de uma junta de bois a puxar um carro carregadinho de feno até para lá dos estadulhos que faziam um esforço danado para suportar a descomunal carga e como dizia, ouvia aqueles gemidos compassados do chiar do eixo acoplado às rodas que desatei a chorar...Sei, lembra o filósofo alemão que abraçou o cavalo, mas eu não abracei aquela junta, mas desatei a chorar isso sim! Levantei-me, fui para casa tentar perceber esse meu deslize, mas qual quê, sentado na cama, continuei a chorar.

 

26
Jun20

...

[201].

Zap do Professor: Vê como são as coisas: Ontem o Romulus Maya no seu Duplo Expresso deu uma live histórica: Banestado Leak!... E o Brasil de quem tem o Poder e o Dever, mudos e moucos... O corriqueiro dia a dia normal, e o Brasil a ser sucateado... Ainda agora, o Duplo Expresso e outros canais vêm alertando o Povo para a privatização da água e o cinismo de Ciro Gomes e outros políticos ditos ‘democráticos’ com as suas piruetes intelectualoides para enganar o gado...

 

Meu zap: É interessante que os heróis que se dão ao trabalho de salvar o Brasil, arriscando a saúde em todos os níveis, são esses mesmos cidadãos intransigentes nas suas lives: Afinal, as ferramentas que dispõem!... E os líderes democráticos escondidos nas suas “tocas de coelho” derretendo dia após dia as suas obrigações para salvar o Brasil!

 

25
Jun20

...

[200].

Zap de uma amiga: Um Desastre embebido com elemento químico de número atómico 53, vai abafar com a sua palheta acinzentada a Indignação que se transformará com brilho metálico.

 

Meu zap: Como?

 

Zap de uma amiga: Nada... É só para o teu blogue (se quiseres, claro).

25
Jun20

...

[199].

Meu zap: Na PIAUÍ de junho, um artigo dá conta da bestialidade do Trumpas de melenas à cuspe javardo. Bestialidade essa que não tem fundo... Tudo, para ele, é uma competição mundial reduzida a quem tem a piroca maior! ... Para criar a associação da pandemia com a China, não teve pruridos em riscar o nome coronavírus e acrescentar “vírus chinês”, em cima do joelho por assim dizer, no texto que leria em seguida para as TV’s do mundo, com o intuito de marcar um culpado ... Voltado para o seu quarto na Casa Branca, despir as cuecas e olhando para a sua piroquinha demonstrar a si mesmo que afinal tem o caralho mais avantajado do que a verga do imortal John Holmes, enquanto a sua mulher usa o vibrador em outro quarto para se consolar no seu infinito luto.

Zap do Professor: Hehehe... Sabes, nós entregamos o mundo, através do voto, nas mãos dos estúpidos, dos imperialistas e dos ditadores... A propósito da disfunção eréctil entre China e EUA e as possíveis consequências catastróficas, lembrei aquele detetive famoso da década 20, Charlie Chan, que dizia mais ou menos isso: “O espírito é como um paraquedas. Só funciona bem quando está aberto.”

24
Jun20

...

[198].

Zap do Gaspar: Chegou-me aos olhos-leitores que a Lya Luft está arrependida de ter apoiado o Coiso dos infernos! ESTOU CHOCADO, Luís!

 

Meu Zap: Demonstra um tal desprezo pelas suas responsabilidades de cidadã que só se explica pela sua eminente deficiência cognitiva programada que, se calhar, o algoritmo dessa deficiência encarquilhou e agora deve ter virado o feitiço, gerando rotinas algorítmicas mais lúcidas. E percebido que, mesmo desanimada com o PT, poderia votar em outros nomes democráticos ou votar nulo...

23
Jun20

...

[197].

Meu zap: Lá está o lobby dos Pastores neopentecostais a escarafunchar uma maneira de perpetuar os pingos de dízimos que caiam nas algibeiras, ao mesmo tempo que reza pragas infinitas à covid-19, esse satanás usurpador de dízimos que tão bem escorriam nas suas vidinhas de ostentação antes da quarentena.

 

Zap do meu amigo de Jequié: Eis esses! ... Se você quer ver ao vivo e a cores um não-crente é frequentar os seus cultos. Esses Pastores sabem que ao morrerem vão para debaixo da terra somente para estrume. São desprovidos de empatia pela espiritualidade, e bem resolvida esta questão metafísica, montam todo esse teatro para um gado que não se importa de pagar mensalmente um Guia-Pastor que os leve para a alienação, uma vez que esse gado é órfão do Estado... O fatalismo é esse mesmo gado ter um espírito de tal ordem que presume que não tem outra escolha senão manter os seus Guias-Pastores à custa dos dízimos, fortalecendo a crendice à força das marteladas de lugares comuns.

22
Jun20

...

[196].

Meu zap: A minha vizinha que comprou o feijão mágico do Pastor Valdemiro acabou de falecer da covid-19... Talvez morresse a pensar que o feijão estava com bichos e que o Pastor fez uma má colheita...

 

Zap do Professor: Falando sério: O Oprimido é um Ser balizado entre o seu próprio sonho e o sonho do Outro, resultando sempre em um Ser desenvolvido no próprio sonho sonhado pelo Outro.... É um problema atroz que atravessa o Povão.

19
Jun20

...

[195].

Zap de um amigo pernambucano: Estive ontem com o Cláudio Assis para falar do seu último filme. Foi boa a conversa! ... Inclusive, incentivou-me a percorrer o meu próprio caminho na Poesia. “Tens que ter atitude! ... Quem não reage, rasteja!”. Hein, Luís! Temos GRANDES BRASILEIROS! ... É pena é esse entorpecimento colectivo e essa alienação religiosa... Falta-nos um abanão!

 

Meu zap: E a tua revista literária? O realizador deixa-te usar o nome “Febre do Rato”?

 

Zap de um amigo pernambucano: Não foi preciso... Vou adaptar o teu velho jornaleco dos tempos da FEUP: “Pena Suspensa”.

 

Meu zap: Muito me honra! Sucesso!

19
Jun20

...

[194].

Meu zap: Antes de ir para o olho da rua, essa anomalia de nome Weintraub ainda teve tempo de revogar a Portaria da Política de Cotas nas Universidades... Uma vez cão tinhoso, para sempre cão tinhoso!

 

Zap do Gaspar: Anomalia! ... Anomalia dessa gente ruim! ... Sabes, Luís, essa coisa mal resolvida que é o Brasil – e que todos sabem mas que ninguém reage de forma substancial – é a insistência do ranço da velha anomalia que era a autoridade colonial.

18
Jun20

...

[193].

Meu zap: Quantas ‘aves de rapina’ ainda sobrevoam sob as nossas cabeças... e nem deslumbramos uma raiva colectiva para descomprimir a indignação... Parece que o povão está condenado a comprimir tudo dentro de seu coração, qual buraco negro (que ironia). Talvez porque saiba intuitivamente que, mesmo com a prisão de Queiroz e possível queda do Coiso, outros virão para continuar o rapinanço secular.

 

Zap do Professor: Como negro, faço das palavras de Homi K. Bhabha as minhas: “Há uma conspiração de silêncio em torno da verdade colonial, o que quer que isso seja” ... E essa paralisação colectiva que nos afecta tem que ser discutida e abanada. Mas como? ... Mas como? Se nem temos líderes com tomates no sitio para mobilizarem contra essa “conspiração do silêncio” ?!... Mais uma vez, a prova de que está tudo por fazer!

16
Jun20

...

[192].

Meu   zap: Mais uma loja que se fecha... As empregadas à deriva...

 

Zap do Professor: O poder de um subalterno subverte sempre a sua felicidade porque só atinge o adiamento do objeto de seu olhar pelo ‘muro’ do signo, ficando-se pela pulsão da morte.

16
Jun20

...

[190].

Meu zap: O que faz o discurso filosófico-social render quase nada é insistir na perspectiva de profundidade inócua que esprimida cai uma gota de autenticidade de uma identidade reflectida na metáfora vítrea que camufla genialmente a imagem de uma narrativa de Elite Branca do País... Como começar para reverter?

 

Zap do amigo de Jequié: Meu portuga querido, o que falta é tudo por fazer! Sem um Pensamento Filosófico e Social de Raiz para uma América Latina genuína e expurgar o mal do Pensamento Ocidental, não há como começar coisa nenhuma!

16
Jun20

...

[189].

Meu zap: Estou a fazer zapping nos canais de TV, e logo pela manhã são notícias sobre violência e mortes. E repetem, repetem a mesma cena violenta até à exaustão, a seguir outra cena violenta...E só! O que pergunto é o seguinte: E as crianças que veem estas imagens gratuitas? ... Violência, violência e violência, com os pseudo-apresentadores com gestos hostis e nervosos aos gritos imitando o falecido Marcelo Resende ... E logo pela manhãzinha!

 

Zap de um amigo de Jequié: É assim: O Povão é como um abacaxi. Aproveita-se o Povão para tudo! ... Primeiro expô-lo à violência nas TV’s; depois massacra-lo com publicidade de ostentação; de imediato sujeita-lo ao trabalho de escravo e mal remunerado como convém; a seguir dopa-lo com a alienação religiosa e finalmente dar-lhe uma morte violenta como cereja do bolo de um projeto canibal da Elite Branca.

16
Jun20

...

[178].
Meu zap: Não consigo dimensionar o quanto deve ser difícil viver com a pele escura no Brasil. Seria uma afronta da minha parte, até porque a branquitude já garante a zona de conforto de estar na linha da frente sem observar quem está lá trás.

 

Zap do Professor: Frantz Fanon escreveu sobre ser “um estranho em seu ambiente”. O viver “permanentemente estrangeiro em seu próprio país”, e para piorar é como se a estrutura social brasileira fosse, usando as palavras de Fanon transportando-as para a nossa realidade, “hostil a qualquer tentativa de conduzir o indivíduo de volta ao seu devido lugar” ... Claro que, com o Lula, a nossa situação melhorou imenso, embora houvesse muito caminho para percorrer, mas que estávamos no caminho certo... O problema é que esta caminhada difícil mas calcorreada com esperança piorou com o reinado da milícia-terraplanista...

15
Jun20

...

[187].

Meu zap: Não ter certezas é um incómodo tão inútil como eu ter nascido sem a minha autorização.

 

Zap do Gaspar: O que sabes tu para além de teres nascido? Bah! ... O que tu queres eu sei: fabricares fragmentos no blogue para te iludires nessas grandezas inúteis que poucos se dão ao trabalho de ler...

 

Meu zap: Talvez a única coisa útil seja, então, a sensação de vazio.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D